Alterações climáticas e o BCE

As alterações climáticas afetam cada um de nós, incluindo os bancos centrais. No BCE, estamos muito cientes deste facto e estamos a contribuir – nos termos do nosso mandato – para enfrentar este desafio mundial.

Os nossos esforços centram-se em apoiar os participantes no mercado, os legisladores e as entidades de normalização, no seu trabalho de identificação dos riscos associados às alterações climáticas. Apoiamos também o desenvolvimento de um quadro claro para dar resposta a esses riscos.


Política monetária e alterações climáticas

O BCE, atuando dentro do seu mandato, pode – e deve – apoiar ativamente a transição para uma economia hipocarbónica de duas formas: em primeiro lugar, ajudando a definir as regras do jogo e, em segundo lugar, agindo em conformidade com essas regras, sem prejuízo da estabilidade de preços.

Benoît Cœuré, membro da Comissão Executiva do BCE

Discurso


O BCE atua em três domínios de competência importantes

Supervisão bancária

As autoridades de supervisão interagem com os bancos no sentido de os sensibilizar para os riscos associados às alterações climáticas. O objetivo é assegurar que os bancos têm capacidade para gerir esses riscos corretamente.

Estabilidade financeira

Os especialistas em estabilidade financeira medem e avaliam os riscos que as alterações climáticas colocam ao sistema financeiro. Os resultados dos especialistas são comunicados ao público, aos participantes no mercado e aos decisores de políticas.

Política monetária e operações de mercado

Os especialistas em operações de mercado têm em conta a sustentabilidade ao gerirem as carteiras não monetárias do BCE. Como parte dos programas do BCE de compra de ativos, investimos em obrigações verdes. Esses investimentos são limitados, devido à necessidade de evitar distorções indevidas do mercado e de manter a igualdade de condições.


O BCE é membro dos seguintes grupos

Rede para a Ecologização do Sistema Financeiro

Os membros da Rede para a Ecologização do Sistema Financeiro (Network for Greening the Financial System – NGFS) incluem bancos centrais e autoridades de supervisão financeira dos cinco continentes. Procuram identificar formas de apoiar uma transição sem problemas para uma economia hipocarbónica. Em 17 de abril de 2019, publicaram o seu primeiro relatório com recomendações sobre o modo como os bancos centrais e as autoridades de supervisão podem promover um sistema financeiro mais ecológico.

Grupo Técnico de Peritos em Matéria de Financiamento Sustentável

Como membro do Grupo Técnico de Peritos em Matéria de Financiamento Sustentável (Technical Expert Group on Sustainable Finance – TEG), criado pela Comissão Europeia, o BCE contribui para o desenvolvimento de uma taxonomia (ou sistema de classificação) que defina quais as atividades consideradas ambientalmente sustentáveis ou prejudiciais. Esse sistema ajudará os investidores a colocarem o seu capital em investimentos sustentáveis, por exemplo, em obrigações verdes.


Outras iniciativas

BCE Verde

Estamos continuamente a trabalhar no sentido de reduzir a pegada ecológica do BCE. Se tiver interesse em saber o que alcançámos até agora, consulte a nossa página sobre proteção ambiental.

Semana Europeia da Mobilidade

O BCE participa regularmente neste evento. Os membros do pessoal são encorajados a deslocarem-se para o trabalho da forma mais ecológica possível.

Hora do Planeta

O BCE participa na iniciativa “Earth Hour” (referida em português como “Hora da Terra” ou “Hora do Planeta”) desde 2012. Desligando as luzes do nosso edifício principal, procuramos sensibilizar para as alterações climáticas.


Publicações pertinentes