Conceito energético

Conceito energético

© Robert Metsch

Desde o lançamento do concurso do projeto de arquitetura para a construção da sua futura sede, o BCE estabeleceu como objetivo que as suas novas instalações deveriam ser 30% mais eficientes em termos energéticos do que o disposto na diretiva alemã relativa à poupança de energia (Energieeinsparverordnung), de 2007. Para o efeito, foram exploradas e analisadas todas as possibilidades, em particular no que respeita às fachadas e aos sistemas técnicos. O conceito energético daí resultante apresenta as características que se seguem.

Aproveitamento de água da chuva

© Robert Metsch

Só o telhado do edifício do Großmarkthalle tem uma área de aproximadamente 10 000 m2. Por conseguinte, será instalado um sistema de recolha de águas pluviais, as quais serão utilizadas na rega dos jardins em períodos de menor pluviosidade e nas descargas sanitárias nas casas de banho do edifício do antigo mercado.

Recuperação de calor

O calor residual gerado pelo centro de informática será reencaminhado para o sistema de aquecimento dos escritórios. As novas instalações do BCE estarão ligadas ao sistema altamente eficiente de produção combinada de energia elétrica e calor da cidade de Frankfurt am Main.

Isolamento eficiente

As superfícies do edifício do Großmarkthalle, mais especificamente, o telhado e as janelas, serão isoladas de forma a criar uma separação térmica entre os espaços exteriores e interiores, tais como o refeitório do pessoal e as salas de reuniões. Estes espaços disporão do seu próprio microclima, uma vez que integrarão o pavilhão do antigo mercado como edifícios autónomos (house-in-house system).

Ventilação natural dos escritórios

Para além de sistemas de ventilação central, os edifícios incluirão elementos motorizados integrados nas fachadas, que permitirão a ventilação natural direta dos escritórios. Deste modo, cada utilizador poderá ventilar o seu espaço de trabalho sem recorrer a ventilação mecânica. Além disso, será possível ter uma melhor noção do ambiente no exterior. Para testar a viabilidade e a funcionalidade do desenho da fachada, foi construída uma maquete à escala real de parte do edifício. Os resultados dos testes realizados demonstraram que o desenho da fachada era efetivamente viável e funcional.

Proteção solar eficiente e iluminação de baixo consumo

A fim de evitar a absorção excessiva de calor do sol, as fachadas dos edifícios integrarão painéis/ecrãs protetores altamente eficientes.

Outra forma de economizar energia consiste em utilizar a luz natural. Os escritórios estarão equipados com sensores de luz do dia para que a iluminação artificial seja automaticamente desligada quando a luz natural for suficiente. No que respeita à iluminação artificial dos escritórios, bem como do átrio e do pavilhão do antigo mercado, foram realizadas consideráveis pesquisas com vista a assegurar uma iluminação suficiente e satisfatória a qualquer hora do dia.

Utilização de energia geotérmica para aquecimento e refrigeração

De forma a reduzir ainda mais os custos energéticos, foram incorporadas condutas geotérmicas nas estacas de fundação dos edifícios, as quais se prolongam até ao substrato rochoso da cidade a uma profundidade de cerca de 30 metros. Estas condutas podem ser ligadas ao circuito hidráulico e às bombas de calor do sistema central de aquecimento e refrigeração, a fim de extrair calor do solo no inverno e frio no verão.

Com vista a minimizar o número de sistemas técnicos e a quantidade de energia necessária, determinados espaços, tais como o átrio ou as áreas abertas no pavilhão do antigo mercado, não disporão de ar condicionado. Estes espaços funcionarão assim como zona-tampão e de transição entre o exterior e o interior.

A Diretiva 2002/91/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de dezembro de 2002, relativa ao desempenho energético dos edifícios entrou em vigor em 4 de janeiro de 2003. As disposições legislativas, regulamentares e administrativas necessárias para dar cumprimento a esta diretiva foram implementadas pelo governo alemão em 1 de outubro de 2007, sendo a futura sede do BCE o primeiro grande projeto de construção na Alemanha a cumprir as normas exigidas.