Opções de procura
Home Sala de imprensa Notas explicativas Estudos e publicações Estatísticas Política monetária O euro Pagamentos e mercados Carreiras
Sugestões
Ordenar por

Emissão e circulação

O BCE e os bancos centrais nacionais (BCN) dos países da área do euro têm legalmente o direito de emitir notas de euro. Na prática, apenas os BCN têm a capacidade para emitir e retirar de circulação notas (e moedas) de euro. O BCE não dispõe de serviços de caixa e não opera com numerário. Quanto às moedas de euro, os emissores legais são os países da área do euro. A Comissão Europeia coordena todos os aspetos referentes às moedas ao nível da área do euro. Para mais pormenores, consulte o sítio da Comissão Europeia.

O BCE supervisiona as atividades dos BCN e toma a iniciativa quanto a novas harmonizações dos serviços de numerário na área do euro, ao passo que os BCN asseguram o bom funcionamento dos respetivos sistemas nacionais de distribuição de numerário. Os BCN colocam notas e moedas em circulação através do sistema bancário e, em menor escala, através do comércio a retalho. O BCE não pode executar estas operações, visto que não dispõe das funções nem da infraestrutura (ou seja, unidades de distribuição, unidades de processamento de notas, caixas‑fortes, etc.).

A quantidade de notas em circulação tem aumentado continuamente desde a introdução do euro. As notas das denominações mais baixas e médias são utilizadas sobretudo para pagamentos no dia a dia. As notas das denominações mais elevadas são utilizadas principalmente como reserva de valor e para compras dispendiosas.

Circulação na área do euro

As notas (e moedas) de euro circulam amplamente na área do euro, sobretudo devido ao turismo, às viagens de negócios e às compras realizadas a nível transnacional. Antes da introdução do euro, as notas nacionais também “circulavam” além fronteiras, ainda que de forma bastante mais limitada, e tinham de ser depois “repatriadas” para o banco central emissor, em regra, através do sistema bancário comercial. Com o euro, estas devoluções tornaram‑se desnecessárias. Todavia, uma vez que grandes quantidades de notas de euro não permanecem no país emissor, sendo antes utilizadas para efetuar pagamentos em outros países da área do euro, os BCN têm de voltar a distribuí‑las, de modo a evitar défices de notas num país e excedentes em outros. Essas transferências são coordenadas a nível central e financiadas pelo BCE.

Para informações sobre os volumes das denominações de notas (e moedas) que circulam na área do euro, consulte a secção de estatísticas.

Circulação fora da área do euro

As notas de euro não são apenas utilizadas pelos residentes na área do euro. O euro é uma moeda internacional e, por conseguinte, algumas notas de euro circulam e permanecem fora da área do euro. Estima‑se que, em termos de valor, entre 20 e 25% das notas de euro em circulação são detidas fora da área do euro, predominantemente em países vizinhos. A procura de notas de euro aumentou de forma acentuada, sobretudo em países da Europa de Leste não pertencentes à União Europeia, quando a crise financeira surgiu em 2008 e se verificou uma depreciação das moedas nacionais face ao euro. Essas notas de euro permanecem em circulação, o que sugere que continuam a ser detidas por pessoas não residentes na área do euro.

O ciclo de numerário

As notas seguem um percurso específico na economia. Os bancos comerciais encomendam‑nas aos BCN e colocam‑nas depois em circulação através dos caixas automáticos. As pessoas gastam essas notas em lojas, mercados e outros lugares, sendo estas subsequentemente depositadas por comerciantes ou outros utilizadores em agências bancárias. Os bancos e outros profissionais que operam com numerário podem devolver as notas ao respetivo BCN ou recolocá‑las em recirculação, após terem verificado a sua autenticidade e qualidade. O nosso vídeo conta a história completa.

O ciclo de vida das notas de euro

A organização da cadeia de oferta de numerário varia de país para país e depende de fatores como:

  • a estrutura do banco central, incluindo a sua rede de agências e delegações
  • os bancos comerciais e respetivas agências e filiais
  • o regime jurídico nacional
  • os hábitos de pagamento do público
  • a infraestrutura das empresas de transporte de numerário que operam no mercado
  • a geografia de cada país, bem como a sua história e tradições

Não obstante as diferenças, o Eurosistema continua a visar uma maior convergência dos serviços de numerário oferecidos pelos BCN da área do euro. São consultadas todas as partes interessadas, tais como bancos comerciais, empresas de transportes de valores e outros profissionais que operam com numerário, a nível nacional e europeu. Uma maior harmonização e integração permitir‑lhes‑á obter mais benefícios da moeda única.

Para mais pormenores, consulte o Relatório Anual do BCE.

Verificação das notas

As notas em circulação têm de ser genuínas e de elevada qualidade para que as pessoas tenham confiança nelas. Por conseguinte, os BCN da área do euro utilizam máquinas de processamento de notas totalmente automatizadas para assegurar que as notas são verdadeiras e de boa qualidade para recirculação.

Todas as páginas desta secção