European Central Bank - eurosystem
Opções de pesquisa
Página inicial Sala de Imprensa Notas explicativas Estudos e publicações Estatísticas Política monetária O euro Pagamentos e mercados Carreiras
Sugestões
Ordenar por

O emprego e o reexame da estratégia de política monetária

Para manter os preços estáveis, ajustamos a nossa política monetária em função da situação da economia. O emprego é uma componente importante da economia e pode influenciar a evolução dos preços ao longo do tempo. Prestamos atenção ao emprego quando tomamos decisões e acompanhamos também o modo como essas decisões afetam o emprego.

Por que razão abordámos o emprego no reexame da estratégia de política monetária?

A nossa política monetária interage com a economia

A nossa função consiste em manter os preços estáveis, o que significa manter a inflação – a taxa a que o nível geral de preços dos bens e serviços varia ao longo do tempo – baixa. Para o fazer com êxito, temos de acompanhar de perto a economia e a forma como a nossa política monetária interage com ela.

A fim de ter uma visão completa da evolução da economia, precisamos igualmente de analisar o número de pessoas que têm emprego, que tipos de empregos são e os salários pagos no contexto desses empregos. Por outras palavras, também temos em consideração a situação do emprego quando tomamos decisões. Estamos igualmente atentos ao impacto das nossas decisões no emprego.

Emprego numa união monetária

Analisamos o emprego no conjunto da área do euro

Ter uma perspetiva completa do emprego na nossa união monetária implica olhar para os 19 países da área do euro. É uma perspetiva muito variada, pois inclui pessoas de todos os tipos – por exemplo, jovens e idosos, bem como pessoas com formação académica e pessoas com poucos estudos.

Para alguns grupos, é mais difícil conseguir emprego. É o caso, em especial, de pessoas desempregadas há mais tempo e que perdem as competências profissionais. A situação do emprego é relevante, pois é fundamental para entender o que levou as nossas sociedades a tornarem‑se mais desiguais nas últimas décadas e saber o que os governos podem fazer para mudar esta realidade.

Que papel desempenha o emprego na nossa política monetária?

Tomamos decisões com a economia em mente

Ajustamos a nossa política monetária em função da evolução da economia. O emprego é um elemento importante dessa equação. Quando há mais postos de trabalho do que trabalhadores, os preços aumentam mais rapidamente, porque a procura de bens ou serviços é maior. Contudo, tal também acontece porque as empresas oferecem salários mais elevados para atrair trabalhadores e satisfazer a nova procura, transmitindo depois alguns destes custos adicionais aos consumidores. Quando as pessoas perdem o emprego, circula menos dinheiro. Há menos pessoas a fazer compras, as despesas de consumo diminuem e os preços deixam de subir tanto como antes.

Não se trata apenas do número de pessoas empregadas. A qualidade dos postos de trabalho também importa. Uma pessoa com um emprego bem pago e estável gasta e poupa de forma diferente de alguém com um emprego instável e mal remunerado.

Como é que a política monetária contribui para o emprego?

Preços estáveis apoiam o emprego...

A facilidade com que as pessoas encontram e mantêm bons empregos depende principalmente das políticas nacionais. Todavia, os preços estáveis também podem apoiar a criação de postos de trabalho. Quando os preços permanecem estáveis, as empresas e as pessoas podem planear e investir melhor, criando, assim, uma economia mais próspera. As empresas passam a contratar mais pessoas para satisfazer a maior necessidade de bens e serviços.

... e as nossas decisões de política monetária também

A nossa política monetária também pode, por vezes, apoiar o emprego na economia. Por exemplo, quando a economia não está a funcionar bem, a inflação pode baixar. Podemos ajustar a nossa política monetária para tornar a contração de empréstimos menos onerosa para as famílias e as empresas, o que pode ajudar a aumentar a despesa e o investimento. Além de contribuir para estabilizar a inflação, isso ajuda igualmente a manter as pessoas empregadas e apoia a criação de novos postos de trabalho. Manter os preços estáveis a “médio prazo” apoia o pleno emprego.

Que papel desempenhará o emprego na nossa política monetária no futuro?

Manter os preços estáveis é bom para o emprego

Durante os nossos eventos de interação com o público, ouvimos que as pessoas, particularmente as mais jovens, estão preocupadas com a qualidade do emprego e as perspetivas de encontrar trabalho. Na verdade, os governos são responsáveis pela criação de um enquadramento em que as pessoas consigam encontrar empregos bons e estáveis, mas podemos dar o nosso contributo mantendo os preços estáveis. É por isso que também teremos em conta o emprego na tomada de decisões de política monetária.

LEIA MAIS
O emprego e a condução da política monetária na área do euro
REEXAME DA ESTRATÉGIA
Procura mais informação?