Opções de procura
Home Sala de imprensa Notas explicativas Estudos e publicações Estatísticas Política monetária O euro Pagamentos e mercados Carreiras
Sugestões
Ordenar por
  • COMUNICADO

BCE intensifica o trabalho sobre um euro digital

2 de outubro de 2020

  • Foi publicado o relatório do grupo de trabalho de alto nível do Eurosistema sobre um euro digital.
  • O Eurosistema tem de estar preparado para a possível decisão futura de introduzir um euro digital.
  • Será lançada uma consulta pública e iniciada uma fase de experimentação.

O Banco Central Europeu (BCE) publicou hoje um relatório abrangente sobre a possível emissão de um euro digital, elaborado pelo grupo de trabalho de alto nível do Eurosistema sobre moeda digital do banco central e aprovado pelo Conselho do BCE.

Um euro digital seria uma forma eletrónica de moeda do banco central acessível a todos os cidadãos e empresas – tal como as notas de euro, mas em formato digital –, permitindo-lhes realizar pagamentos diários com rapidez, facilidade e segurança. Complementaria as notas e moedas de euro, mas não as substituiria. O Eurosistema continuará a emitir notas e moedas de euro.

“O euro pertence aos europeus e a nossa missão consiste em ser o seu guardião”, afirmou a presidente do BCE, Christine Lagarde. “Os europeus estão a recorrer cada vez mais a meios digitais quando decidem gastar, poupar e investir. O nosso papel é assegurar a confiança na moeda. Isso significa garantir que o euro se adapta à era digital. Devemos estar preparados para emitir um euro digital, caso seja necessário.”

O grupo de trabalho do Eurosistema, que reúne especialistas do BCE e dos 19 bancos centrais nacionais da área do euro, identificou possíveis cenários que exigiriam a emissão de um euro digital. Esses cenários incluem um aumento da procura de pagamentos eletrónicos na área do euro, que exigiria um meio de pagamento europeu digital isento de riscos, uma diminuição significativa da utilização de numerário como meio de pagamento na área do euro, o lançamento de meios de pagamento privados mundiais passíveis de suscitar preocupações regulamentares e acarretar riscos para a estabilidade financeira e a proteção dos consumidores, e um recurso generalizado a moeda digital do banco central emitida por bancos centrais estrangeiros.

“A tecnologia e a inovação estão a mudar o modo como consumimos, trabalhamos e nos relacionamos com os outros”, declarou Fabio Panetta, membro da Comissão Executiva do BCE e presidente do grupo de trabalho. “Um euro digital apoiaria o empenho da Europa na inovação permanente. Contribuiria também para a soberania financeira da Europa e para reforçar o papel internacional do euro.”

Um euro digital preservaria as vantagens que o euro proporciona aos cidadãos: acesso gratuito a um meio de pagamento simples, universalmente aceite, isento de riscos e fiável. Também coloca desafios, mas o Eurosistema pode dar-lhes resposta através da adoção de estratégias apropriadas na conceção de um euro digital.

O Conselho do BCE ainda não tomou uma decisão sobre a introdução, ou não, de um euro digital.

O Eurosistema interagirá amplamente com os cidadãos, o meio académico, o setor financeiro e as autoridades públicas para avaliar em pormenor as necessidades dos seus interlocutores, assim como os benefícios e os desafios expectáveis da emissão de um euro digital. Será lançada uma consulta pública em 12 de outubro.

A fase de experimentação terá início em paralelo, sem prejuízo da decisão final.

Para resposta a eventuais perguntas dos meios de comunicação social, contactar Alexandrine Bouilhet (tel.: +49 172 174 9366).

Notas:

  • Ligação ao relatório (disponibilizado apenas em língua inglesa) no sítio do BCE
  • Página sobre a matéria (em língua inglesa) no sítio do BCE: A digital euro
CONTACTO

Banco Central Europeu

Direção-Geral de Comunicação

A reprodução é permitida, desde que a fonte esteja identificada.

Contactos de imprensa