O que significa “senhoriagem”?

7 de abril de 2017

Esta palavra pouco habitual refere-se a algo muito comum: as notas de banco na sua carteira. Sabe de onde vêm? As notas de euro são desenvolvidas pelo BCE, produzidas em centros de impressão de notas e, então, armazenadas nos cofres dos bancos centrais nacionais. Chegam às suas mãos por via dos bancos comerciais, que pagam ao respetivo banco central o valor facial das notas. Para tal, normalmente os bancos precisam de solicitar um empréstimo ao banco central ou de apresentar alguns dos seus ativos como pagamento. No processo, o banco central aufere juros sobre os empréstimos que concede, ou recebe rendimentos com os ativos que adquire, sendo estes proveitos os designados “rendimentos de senhoriagem”.

Numa união monetária, a moeda viaja

As notas de euro circulam livremente entre países e a quantidade de notas em circulação registada em cada banco central nacional pode variar imenso. O valor para determinado banco pode até ser zero ou negativo. A título de exemplo, os turistas alemães que procuram a aventura em Espanha levam consigo notas emitidas pelo banco central alemão (o Deutsche Bundesbank), as quais terminam no banco central espanhol (o Banco de España). Como a emissão de notas é totalmente determinada pela procura, o Banco de España precisa, assim, de colocar menos notas em circulação, já que beneficia da quantidade de notas que entra no país. Por esta razão, os bancos centrais da área do euro compensam entre si o montante auferido com a emissão de notas de euro.

Qual é o papel do BCE?

Embora, na realidade, o BCE não emita notas, acordou-se que 8% (em termos de valor) de todas as notas de euro em circulação na área do euro seriam consideradas como emitidas pelo BCE. Os bancos centrais nacionais colocam as notas em circulação em nome do BCE e este recebe os rendimentos de senhoriagem relativos à sua quota de 8% através dos correspondentes créditos que detém sobre os bancos centrais nacionais.

Os rendimentos de senhoriagem registam uma queda desde 2008, em consonância com a descida das taxas de juro na área do euro. A maior parte dos lucros do BCE advém atualmente de outras fontes de rendimento, tais como os proveitos decorrentes do programa de compra de ativos. Fique a saber o que acontece com os lucros do BCE.

Origem do termo “senhoriagem”

Em tempos passados, era o “senhor” quem tinha o direito de cunhar moeda, daí o nome. Hoje em dia, na área do euro, são os governos nacionais os responsáveis pela cunhagem de moedas metálicas e os bancos centrais pela emissão de notas.