Opções de procura
Home Sala de imprensa Notas explicativas Estudos e publicações Estatísticas Política monetária O euro Pagamentos e mercados Carreiras
Sugestões
Ordenar por
  • COMUNICADO

Alteração gradual observada no comportamento de pagamento na área do euro

2 de dezembro de 2020

  • O numerário é o instrumento mais popular para os pagamentos de retalho presenciais, mas a sua utilização está a diminuir gradualmente.
  • Os pagamentos com cartão sem contacto estão a tornar-se cada vez mais frequentes.
  • Os resultados de um inquérito indicam que a pandemia de coronavírus acelerou a utilização de métodos de pagamento escriturais.

Os consumidores da área do euro estão a mudar gradualmente para a utilização de cartão nos pagamentos de retalho presenciais, embora o numerário tenha continuado a ser o instrumento de pagamento mais utilizado no final de 2019, de acordo com os dados hoje publicados pelo Banco Central Europeu (BCE).

No ano passado, os consumidores adultos da área do euro utilizaram o numerário em 73% das suas transações de retalho em pontos de venda e entre particulares (48% em termos de valor). Num estudo anterior do BCE realizado em 2016, o numerário era utilizado em 79% dessas transações (54% em termos de valor).

A utilização de cartões nos pagamentos de retalho presenciais aumentou 5 pontos percentuais durante os mesmos três anos, passando de 19% para 24% (41% em termos de valor). Em 2019, quase quatro em cada dez operações com cartão foram realizadas através de tecnologia sem contacto.

Nas suas compras online, os consumidores adultos da área do euro pagaram sobretudo com cartão (49% das operações) e uma em cada quatro transações online foram realizadas utilizando soluções de pagamento eletrónico. Quatro em cada dez pagamentos de faturas foram efetuados por débito direto e dois em cada dez por transferência bancária.

Para compreender o potencial impacto da atual pandemia no comportamento de pagamento dos consumidores, o BCE complementou o seu estudo de 2019 com um inquérito ad hoc realizado em julho de 2020. Quatro em cada dez inquiridos responderam que recorreram a numerário com menor frequência desde o início da pandemia. Embora a maioria dos inquiridos enquadrados nesta categoria espere continuar a fazê-lo após a pandemia, o impacto a longo prazo sobre o comportamento de pagamento ainda é incerto.

“A liberdade dos consumidores para escolher o seu método de pagamento é extremamente importante para nós. Por conseguinte, pretendemos assegurar a aceitação do numerário e o acesso ao mesmo no conjunto da área do euro, promovendo ao mesmo tempo a inovação nos pagamentos digitais, incluindo no nosso trabalho relacionado com a possível emissão de um euro digital”, afirmou Fabio Panetta, membro da Comissão Executiva do BCE.

Os dados hoje publicados ajudarão o BCE e os bancos centrais nacionais da área do euro a compreender melhor a procura por parte dos consumidores e as tendências de mercado, assim como a implementar as estratégias do Eurosistema em termos de numerário e de pagamentos de retalho, as quais incluem a promoção de soluções de mercado pan-europeias competitivas, inovadoras e resilientes, bem como um compromisso de manter o numerário acessível e aceite enquanto meio de pagamento em toda a área do euro.

Para resposta a eventuais perguntas dos meios de comunicação social, contactar Esther Tejedor (tel.: +49 69 1344 95596).

Nota

Estratégia em termos de numerário 2030
CONTACTO

Banco Central Europeu

Direção-Geral de Comunicação

A reprodução é permitida, desde que a fonte esteja identificada.

Contactos de imprensa