O alargamento da União Europeia e o euro

Em 1 de maio de 2004, aderiram à União Europeia (UE) dez países: República Checa, Estónia, Chipre, Letónia, Lituânia, Hungria, Malta, Polónia, Eslovénia e Eslováquia. A Bulgária e a Roménia aderiram em 1 de janeiro de 2007 e a Croácia em 1 de julho de 2013.

Participação na área do euro

Para adotar o euro, os países têm de cumprir determinados critérios económicos, nomeadamente um elevado grau de estabilidade de preços, finanças públicas sólidas, taxas de câmbio estáveis e a convergência das taxas de juro de longo prazo.

Relatórios de convergência

O BCE contribui para a tomada de decisões sobre os futuros membros da área do euro elaborando um relatório de convergência, no qual analisa se os países em questão satisfazem as condições necessárias para a adoção do euro.

Participação nos órgãos de decisão

Os governadores dos bancos centrais dos países da UE não pertencentes à área do euro são membros do Conselho Geral do BCE, mas não do principal órgão de decisão – o Conselho do BCE – até terem adotado o euro. Os especialistas dos bancos centrais dos Estados-Membros participam igualmente nos comités do Sistema Europeu de Bancos Centrais.

Ligações relacionadas

Perguntas mais frequentes sobre o alargamento da União Europeia e a União Económica e Monetária