COMUNICADO

Decisões de política monetária

31 de Agosto de 2000

Na reunião de hoje, o Conselho do BCE tomou as seguintes decisões de política monetária:

  1. A taxa mínima de proposta nas operações principais de refinanciamento do Eurosistema será aumentada em 0.25 pontos percentuais, passado para 4.50%, com efeitos a partir da operação a liquidar em 6 de Setembro de 2000.

  2. A taxa de juro da facilidade permanente de cedência de liquidez será aumentada 0.25 pontos percentuais, passando para 5.50%, com efeitos a partir de 1 de Setembro de 2000.

  3. A taxa de juro da facilidade permanente de depósito será aumentada 0.25 pontos percentuais, passando para 3.50%, com efeitos a partir de 1 de Setembro de 2000.

O Conselho do BCE é da opinião de que as condições e perspectivas para o crescimento económico na área do euro são extremamente favoráveis. A fim de manter este clima benigno, deve ser assegurada a estabilidade de preços a médio prazo. Dado que as condições actuais são em grande medida influenciadas pela evolução dos preços do petróleo e da taxa de câmbio e, como tal, não podem ser remediadas a curto prazo pela política monetária, é fundamental conter a médio prazo as pressões ascendentes sobre os preços. As decisões de política monetária de hoje reforçam as perspectivas favoráveis a um elevado crescimento económico na área do euro.

No contexto do primeiro pilar da estratégia de política monetária do BCE, apesar de as medidas tomadas desde Novembro de 1999 estarem gradualmente a surtir efeito, os últimos dados disponíveis indicam que o crescimento do M3 continua a registar um desvio em sentido ascendente em relação ao valor de referência de 4½%. Ao mesmo tempo, a expansão do crédito ao sector privado, em cerca de 10%, sugere que as famílias e as empresas consideram extremamente favoráveis as condições de financiamento na área do euro. Num contexto de forte expansão da actividade económica, a persistência de condições de ampla liquidez constitui um risco para a estabilidade de preços.

A evolução registada nos principais indicadores relacionados com o segundo pilar apontam na mesma direcção. A prolongada depreciação da taxa de câmbio do euro e o novo aumento dos preços do petróleo têm vindo a exercer cada vez maior pressão ascendente sobre os preços das importações e os preços no consumidor na área do euro. Ao mesmo tempo, os dados mais recentes confirmaram que a área do euro entrou num período de forte crescimento e que as perspectivas permanecem muito positivas.

O Conselho do BCE continuará a assegurar que a estabilidade de preços na área do euro é mantida e permanecerá atento a todos os riscos emergentes para a estabilidade de preços. Ao mesmo tempo, salienta que tanto finanças públicas sólidas, especialmente o cumprimento escrupuloso dos critérios estabelecidos pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento, como medidas estruturais para melhorar a flexibilidade dos mercados de trabalho e de bens são fundamentais para um aumento duradouro do potencial de crescimento da área do euro.

Contactos de imprensa