COMUNICADO

Informação semestral sobre a contrafacção de notas de euro

10 de Janeiro de 2008

No segundo semestre de 2007, foi retirado de circulação um total de 296 mil notas de euro contrafeitas. Se bem que, em comparação com o mesmo período em 2006, este valor represente um ligeiro aumento da quantidade de contrafacções, enquadrar-se no padrão dos últimos anos, tal como demonstra o quadro a seguir que apresenta os valores semestrais de notas contrafeitas apreendidas:

Período 2003/2 2004/1 2004/2 2005/1 2005/2 2006/1 2006/2 2007/1 2007/2
Quantidade de contrafacções 312 000 307 000 287 000 293 000 286 000 300 000 265 000 265 000 296 000

Comparando estes valores com o número de notas de euro genuínas em circulação (em média, 11.4 milhões no segundo semestre de 2007), a quantidade de contrafacções é, na verdade, muito reduzida.

A grande maioria (96%) das notas contrafeitas retiradas de circulação no segundo semestre de 2007 foi apreendida em países da área do euro, embora esta proporção seja ligeiramente menor do que em períodos anteriores. Aproximadamente 3.5% das notas foram apreendidas em Estados-Membros da União Europeia não participantes na área do euro e o resto em outras partes do mundo.

A desagregação das contrafacções apreendidas por denominação é a seguinte:

€5 €10 €20 €50 €100 €200 €500
Desagregação por denominação (em %) 0.5 2.5 27.5 38 22 9 0.5

A nota de €50 foi a mais contrafeita no segundo semestre de 2007. As três denominações intermédias (€20, €50 e €100) representam, no conjunto, cerca de 88% do total de contrafacções.

O público pode estar confiante na qualidade das notas de euro e nos seus elementos de segurança. Todavia, o Eurosistema, ou seja, o Banco Central Europeu (BCE) e os 15 bancos centrais nacionais da área do euro, aconselha mais uma vez os cidadãos a continuarem atentos e a verificarem a autenticidade das notas que recebem. As contrafacções podem ser facilmente identificadas como não sendo notas genuínas através do teste TOCAR-OBSERVAR-INCLINAR, descrito nas publicações do Eurosistema e no site do BCE, bem como nos sites dos bancos centrais nacionais do Eurosistema. Mas, em caso de dúvida, se uma nota parecer suspeita deve ser comparada com uma nota que se saiba ser genuína. Qualquer cidadão que suspeite ter em sua posse uma contrafacção deve contactar as autoridades policiais ou – se a prática a nível nacional assim o permitir – o respectivo banco central nacional e fornecer informação o mais pormenorizada possível sobre a proveniência da nota.

Contactos de imprensa