O edifício histórico do Großmarkthalle

O edifício

Vista de nordeste

Vista de nordeste

© Robert Metsch

O Großmarkthalle foi construído entre 1926 e 1928 segundo um projeto de Martin Elsaesser, que exerceu o cargo de Stadtbaudirektor (responsável pelo urbanismo da cidade) entre 1925 e 1932, na Câmara de Frankfurt am Main. Com 220 m de comprimento, 50 m de largura e uma altura máxima de 23,50 m, acolheu o mercado abastecedor de fruta e produtos hortícolas que servia não apenas a cidade de Frankfurt, mas toda a região do Reno e do Meno.

Utilização

Comboio parado junto ao Großmarkthalle (aprox. 1930) © Institut für Stadtgeschichte

Comboio parado junto ao Großmarkthalle (aprox. 1930)

© Institut für Stadtgeschichte

O Großmarkthalle foi utilizado pelos comerciantes grossistas de Frankfurt de 1928 até 2004, altura em que mudaram para o Frischezentrum na zona noroeste da cidade.

Monumento cultural

Vista do Großmarkthalle de sul (aprox. 1930)

Vista do Großmarkthalle de sul (aprox. 1930)

© Institut für Stadtgeschichte

Sendo um edifício funcional inovador da era moderna clássica, o Großmarkthalle encontra-se classificado como monumento cultural desde 1972. Foi construído com um novo tipo de estrutura e, na época, apresentava o maior vão livre em betão armado pré-esforçado do mundo.

Diferentes elementos

O complexo do Großmarkthalle era originalmente constituído por diferentes elementos. Um era o Großmarkthalle em si, um pavilhão de mercado com um edifício de oito andares em cada uma das extremidades. O edifício da ala oeste destinava-se aos escritórios e à área de pagamento dos comerciantes grossistas, enquanto o edifício da ala leste albergava espaços de venda adicionais e áreas de armazenamento refrigerado. Os dois edifícios laterais estavam ligados a edifícios anexos de quatro andares, onde se encontravam restaurantes, apartamentos e a área da alfândega. No lado sul do pavilhão, existiam diversas linhas férreas, dado a maior parte das mercadorias, em particular frutos tropicais, ser transportada por via ferroviária. Somente nas décadas mais recentes é que estes produtos começaram a ser transportados por via rodoviária.

Preservação histórica

De acordo com as normas de conservação, os trabalhos de recuperação a realizar no Großmarkthalle e nos dois prédios laterais não afetarão a traça geral dos edifícios, os quais serão cuidadosamente recuperados e continuarão a ser elementos distintivos da nova edificação. Os trabalhos de recuperação restituirão também alguns elementos arquitetónicos originais suprimidos ao longo do tempo. Antes da transferência da propriedade para o BCE, procedeu-se à demolição do Importhalle (o edifício dos produtos importados) e de outros edifícios mais pequenos, que se encontravam em mau estado de conservação.

Estrutura original

Quando foi construído, o Großmarkthalle apresentava o maior vão livre em betão armado pré-esforçado do mundo. A estrutura da cobertura do pavilhão principal é formada por 15 cúpulas de betão apoiadas em colunas de betão armado. As cúpulas de betão, construídas segundo o método Zeiss-Dywidag, estendem-se ao longo de 15 m de largura e 43,50 m de comprimento. No seu vértice, têm apenas 7,50 cm de espessura.
As fachadas longitudinais do pavilhão são compostas, maioritariamente, por uma estrutura reticulada em betão armado e vidro; as fachadas ao nível do rés do chão e os edifícios laterais foram construídos em tijolo da época.