COMUNICADO

ACTUALIZAÇÃO DA SITUAÇÃO RESPEITANTE À TRANSIÇÃO PARA O EURO FIDUCIÁRIO

25 de Janeiro de 2002

Praticamente um mês após a introdução das notas e moedas de euro, a grande maioria das transacções em numerário na área do euro estão a ser efectuadas em euros, apesar de, na maior parte dos países da área do euro, as respectivas moedas nacionais terem ainda curso legal. O enorme êxito da transição para o euro fiduciário deve-se ao cuidadoso trabalho de preparação levado a cabo pelas partes envolvidas. Na condução desta vasta operação logística, o Eurosistema, constituído pelo Banco Central Europeu (BCE) e os 12 bancos centrais nacionais da área do euro, teve de ter em consideração as diferentes estruturas e cenários dos diversos países, designadamente do ponto de vista legal, e os mais de 300 milhões de cidadãos na área do euro e muitos outros para além das suas fronteiras. Este grande projecto só foi possível graças ao cuidado e rigor que caracterizaram os preparativos levados a cabo pelo sector do comércio a retalho, pelas instituições de crédito e outros sectores-chave, e à rápida aceitação por parte do público.

Antes de 1 de Janeiro de 2002, isto é, o "dia E", o fornecimento prévio ascendeu a quase 80% das notas de euro que estão agora em circulação, ou seja, 6.4 mil milhões de notas, no valor de cerca de EUR 133 mil milhões. Em relação às moedas de euro, a quantidade previamente fornecida ascendeu a mais de 97% das que se encontram presentemente em circulação, isto é, 37.5 mil milhões de moedas, que equivalem a um valor total de aproximadamente EUR 12.4 mil milhões. Estas operações de logística contribuíram para que a transição para o euro fiduciário decorresse sem problemas. A elevada procura de conjuntos iniciais de moedas, que se saldou na venda de 150 milhões de exemplares em duas semanas, reflectiu a reacção positiva dos cidadãos em relação à sua nova moeda. Além disso, as campanhas de informação, sobretudo a Campanha de Informação Euro 2002, contribuíram para que os cidadãos se familiarizassem com a nova moeda antes da data da sua introdução física.

Desde 1 de Janeiro de 2002, a transição para o euro fiduciário evoluiu rapidamente e sem problemas de maior. Apenas uma semana depois, mais de 50% das transacções estavam a ser realizadas em euros e a adaptação dos caixas automáticos (Multibanco) havia sido concluída.

Cerca de 8.1 mil milhões de notas de euro encontram-se actualmente em circulação, sendo o montante total (incluindo as notas nacionais) semelhante ao do mesmo período em 2001. Em 24 de Janeiro de 2002, o valor das notas de euro em circulação ascendia a EUR 213 mil milhões. A recolha das notas e moedas nacionais prossegue conforme o previsto. O valor total de notas nacionais em circulação diminuiu de EUR 270 mil milhões, em 1 de Janeiro de 2002, para EUR 116 mil milhões, em 24 de Janeiro.

O rácio de progresso do euro – RPE – atingiu 65%, em 24 de Janeiro de 2002, face a 33%, em 1 de Janeiro. O RPE fornece sobretudo uma indicação do ritmo a que decorrem as operações de logística da transição para o euro fiduciário. Revela igualmente que, apesar de a maioria das transacções já ser feita em euros, existem ainda muitas notas nacionais que deverão ser retiradas de circulação, representando um grande esforço para os bancos e empresas de transporte de valores.

Até à data, apenas uma pequena quantidade de reproduções de notas de euro, de má qualidade, foi posta em circulação e imediatamente detectada.

A transição para o euro fiduciário está também a decorrer sem problemas em países fora da área do euro, principalmente nos países candidatos à adesão, mas não se encontra ainda concluída.

É possível obter informações adicionais acerca da transição para as notas e moedas de euro na página do BCE na Internet, em http://www.ecb.europa.eu, e na página na Internet da Campanha de Informação Euro 2002, em http://www.euro.ecb.int.

Contactos de imprensa