COMUNICADO

Revisão do valor de referência quantitativo para o crescimento monetário

14 de Dezembro de 2000

Revisão do valor de referência

Na reunião de 14 de Dezembro de 2000, o Conselho do BCE procedeu à revisão do valor de referência para o crescimento monetário. O Conselho do BCE decidiu confirmar o valor de referência para o crescimento monetário já existente, isto é, uma taxa de crescimento homóloga de 4 1/2% para o agregado monetário largo M3. Esta decisão foi tomada com base no facto de existirem indícios que continuam a sustentar os pressupostos subjacentes ao cálculo do primeiro valor de referência em Dezembro de 1998 (e confirmado em Dezembro de 1999), nomeadamente, os que se referem à tendência de crescimento do produto potencial e à tendência de baixa da velocidade de circulação do M3 na área do euro.

Em relação ao pressuposto sobre a tendência de crescimento do produto potencial, o Conselho do BCE reconheceu que foram feitos progressos em alguns países da área do euro no domínio das reformas estruturais. No entanto, não existe ainda nenhum indício definitivo de que aumentos quantificáveis e duradouros do crescimento da produtividade na área do euro justifiquem uma revisão em alta significativa do pressuposto sobre a tendência de crescimento do PIB potencial. Não obstante, acentuaram-se as incertezas em torno das estimativas referentes à evolução a médio prazo do crescimento do produto potencial na área do euro. Perante este contexto, o Conselho do BCE irá acompanhar de perto o surgimento de novos indícios de aceleração do crescimento da produtividade na área do euro. O Conselho do BCE deseja igualmente sublinhar que o crescimento do produto potencial pode ser reforçado com mais reformas estruturais nos mercados de trabalho e de bens. É evidente que a política monetária do BCE tem em devida conta este tipo de alterações.

A confirmação do valor de referência implica a continuação do seguimento da anterior estratégia de política monetária. O Conselho do BCE irá efectuar a próxima revisão do valor de referência em Dezembro de 2001.

A estratégia de política monetária do BCE e o valor de referência

No contexto da revisão do valor de referência, o Conselho do BCE deseja lembrar as seguintes características referentes a esse valor e o papel que desempenha na estratégia de política monetária do Eurosistema:

1. No âmbito do primeiro pilar, a estratégia de política monetária do BCE atribui um papel proeminente à moeda. Para chamar a atenção do público para o papel proeminente da moeda, o Conselho do BCE decidiu anunciar, em Outubro de 1998, um valor de referência quantitativo para a taxa de crescimento de um agregado monetário largo. Em Dezembro de 1998, o Conselho do BCE anunciou o seu primeiro valor de referência de 4 1/2% para o crescimento anual do agregado monetário M3. Vários estudos têm fornecido provas empíricas que confirmam este papel, bem como o facto de, na área do euro, terem sido satisfeitas as condições relativas ao anúncio de um valor de referência (função de procura de moeda estável e propriedades do M3 como indicador avançado para a inflação futura).

2. O valor de referência foi calculado por meio da conhecida relação entre, por um lado, o crescimento monetário e, por outro lado, a evolução dos preços, o PIB em termos reais e a velocidade de circulação.

O resultado obtido desta forma é consistente com a estabilidade de preços e, ao mesmo tempo, contribui para o alcance da mesma. Para isso, o cálculo do valor de referência foi feito com base na definição do Eurosistema de estabilidade de preços. O Eurosistema define a estabilidade de preços como sendo um aumento em termos homólogos do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) para a área do euro inferior a 2%. A estabilidade de preços deve ser mantida a médio prazo.

Para ser consistente com a orientação a médio prazo da estratégia da política monetária do BCE, o valor de referência foi calculado com base em pressupostos sobre a tendência da velocidade de circulação do M3 a médio prazo e a tendência de crescimento do produto potencial a médio prazo. Os pressupostos eram os seguintes:

  1. a médio prazo, a velocidade de circulação do M3 tende a baixar a uma taxa de 1/2% a 1% ao ano.

  2. o produto potencial tende a crescer a uma taxa de 2% a 2 1/2% ao ano, a médio prazo.

Tomando em consideração a definição de estabilidade de preços e estes dois pressupostos, o Conselho do BCE decidiu, em Dezembro de 1998, fixar o primeiro valor de referência em 4 1/2 %, tendo confirmado este valor em Dezembro de 1999, com base em pressupostos a médio prazo inalterados.

3. Na reunião de 14 de Dezembro de 2000, o Conselho do BCE reviu estes pressupostos e concluiu que ambos permanecem válidos, não tendo encontrado razões para alterar o valor de referência de 4 1/2%.

4. O Conselho do BCE deseja igualmente lembrar que a estratégia de política monetária do BCE assenta em dois pilares, por forma a avaliar os riscos para a estabilidade de preços no futuro. A análise monetária foi sempre considerada em conjunto com o segundo pilar da estratégia de política monetária do BCE, que recorre a outros indicadores económicos e financeiros no quadro de uma avaliação global das perspectivas de evolução dos preços e dos riscos para a estabilidade de preços. O valor de referência não pressupõe que o Eurosistema se empenhe em corrigir automaticamente desvios do crescimento monetário relativamente a esse valor. Antes pelo contrário, a evolução monetária é analisada pormenorizadamente juntamente com outros indicadores, de forma a averiguar as suas as implicações em termos de riscos para a estabilidade de preços a médio prazo.

Contactos de imprensa