COMUNICADO

REVISÃO DO VALOR DE REFERÊNCIA QUANTITATIVO PARA O CRESCIMENTO MONETÁRIO

2 de Dezembro de 1999

Na reunião de 2 de Dezembro de 1999 o Conselho do BCE decidiu confirmar o valor de referência para o crescimento monetário, isto é uma taxa de crescimento anual de 4½% para o agregado alargado M3. Esta decisão foi tomada com base no facto de os componentes subjacentes ao cálculo do primeiro valor de referência em Dezembro de 1998, nomeadamente a definição do Eurosistema de estabilidade de preços e os pressupostos sobre o crescimento tendencial do PIB em termos reais e a baixa tendencial da velocidade de circulação do M3, terem permanecido inalterados.

Tal como anteriormente, o Conselho do BCE analisará a evolução monetária em relação ao valor de referência com base numa média móvel de três meses de taxas de crescimento anuais. O Conselho do BCE decidiu que de futuro reverá o valor de referência com regularidade todos os anos, estando a próxima revisão prevista para Dezembro de 2000.

Neste contexto, o Conselho do BCE deseja sublinhar que o potencial de crescimento tendencial da área do euro pode ser consideravelmente aumentado através de uma reforma estrutural dos mercados de trabalho e de bens. A estratégia da política monetária do Eurosistema teria em consideração tais mudanças, conforme apropriado.

O cálculo do valor de referência de 4½% é a expressão de uma abordagem orientada a médio prazo. A situação de grande liquidez em 1999 deverá ser levada em conta.

No contexto da revisão do valor de referência, o Conselho do BCE deseja lembrar as seguintes características do mesmo e o seu papel na estratégia de política monetária do Eurosistema:

  1. Dada a origem monetária da inflação a longo prazo, o Conselho do BCE atribui um papel proeminente à moeda. Este é o "primeiro pilar" da estratégia de política monetária orientada para a estabilidade seguida pelo Eurosistema. Para chamar a atenção do público para o papel proeminente da moeda, em Outubro de 1998, o Conselho do BCE decidiu anunciar um valor de referência quantitativo para a taxa de crescimento de um agregado monetário alargado. Em Dezembro de 1998, o Conselho do BCE anunciou o seu primeiro valor de referência de 4½% para o crescimento anual do agregado monetário M3.
  2. O primeiro valor de referência foi calculado utilizando a conhecida relação entre, por um lado, o crescimento monetário e, por outro lado, a evolução dos preços, o PIB e a velocidade de circulação. O valor de referência foi calculado de forma a ser consistente com a estabilidade de preços e, ao mesmo tempo, contribuir para o alcance da mesma. É por esta razão que este tem por base a definição do Eurosistema de estabilidade de preços. O Eurosistema define a estabilidade de preços como sendo um aumento em termos homólogos do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) para a área do euro inferior a 2%. A estabilidade de preços deve ser mantida a médio prazo. Para ser consistente com a orientação a médio prazo da estratégia da política monetária do Eurosistema, o valor de referência foi calculado com base nos pressupostos sobre a tendência a médio prazo do PIB real e a evolução da velocidade de circulação do M3 a médio prazo. Os pressupostos eram os seguintes:
    1. o PIB tende a crescer em termos reais a uma taxa de 2% a 2½% ao ano a médio prazo e
    2. a velocidade de circulação do M3 tende a baixar a uma taxa de -½% a -1% ao ano a médio prazo.
    Tendo em consideração a definição de estabilidade de preços e estes dois pressupostos, em Dezembro de 1998, o Conselho do BCE decidiu fixar o primeiro valor de referência em 4½%.

Na reunião de 2 de Dezembro de 1999, o Conselho do BCE reviu estes pressupostos e concluiu que ambos permanecem válidos. Assim, o Conselho do BCE não viu razões para alterar o valor de referência.

O Conselho do BCE aproveitou também a oportunidade desta revisão para voltar a sublinhar que o conceito de valor de referência insere-se numa estratégia de política monetária orientada para a manutenção da estabilidade de preços. Esta estratégia utiliza dois pilares para avaliar os riscos para a estabilidade de preços no futuro. O valor de referência para o crescimento monetário é um componente importante do primeiro pilar da estratégia, que atribui um papel proeminente à análise da evolução monetária. As informações obtidas com esta análise devem ser sempre analisadas em conjunção com o segundo pilar da estratégia de política monetária do Eurosistema, que inclui uma avaliação global das perspectivas de evolução dos preços e dos riscos para a estabilidade de preços, com base em outros indicadores disponíveis. Assim, o valor de referência não pressupõe que o Eurosistema se empenhe em corrigir mecanicamente desvios do crescimento monetário relativamente ao valor de referência. Antes pelo contrário, a evolução monetária é analisada pormenorizadamente em relação ao valor de referência de forma a averiguar quais as implicações para as perspectivas da estabilidade de preços a médio prazo.

Se com esta análise forem identificadas ameaças para a estabilidade de preços, a política monetária reagirá adequadamente de forma a eliminar estas ameaças. Assim, apesar de desvios substanciais e prolongados do crescimento monetário relativamente ao valor de referência indicarem, em circunstâncias normais, riscos para a estabilidade de preços, não existe uma relação automática entre desvios a curto prazo do crescimento do M3 em relação ao valor de referência e as decisões de política monetária.

O conselho do BCE continuará a analisar, regular e pormenorizadamente, a evolução monetária em relação a este valor de referência e explicará ao público quais são as implicações desta análise para a política monetária. Neste contexto, a confirmação do valor de referência implica a continuação do seguimento da estratégia de política monetária anterior e não implica qualquer alteração da avaliação do Conselho do BCE relativamente à actual orientação da política monetária.

Contactos de imprensa